Eduardo Bellini Ferreira

Palestrante Eduardo Bellini FerreiraEduardo Bellini Ferreira – Escola de Engenharia da USP de São Carlos

Engenheiro de Materiais (1992), Mestre em Engenharia de Materiais (1995) e Doutor em Ciência e Engenharia de Materiais (2000) pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Entre 2001 e 2003, realizou pós-doutorado em vitrocerâmicas para revestimentos na mesma instituição. De 2004 a 2007 coordenou um projeto de Pesquisa Inovativa em Pequena e Micro Empresa (PIPE/FAPESP) com a empresa VITROVITA – Instituto de Inovação em Vitrocerâmicos, em São Carlos. De 2007 a 2010 foi docente do Departamento de Materiais e Tecnologia da Faculdade de Engenharia da UNESP, Guaratinguetá. Desde 2010 é docente do Departamento de Engenharia de Materiais da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), Universidade de São Paulo (USP). Desde 2013 é Coordenador de Transferência de Tecnologia do Center for Research, Technology and Education in Vitreous Materials (CeRTEV), um dos CEPIDs da FAPESP. Tem experiência em engenharia de materiais com ênfase em cerâmicas, vidros e vitrocerâmicas, e interesse em pesquisa e desenvolvimento em formação de vidros, sinterização e cristalização de vidros, e manufatura, propriedades e aplicações de vidros e vitrocerâmicas.

.

24.10.2017  –  “WikiVidros

Resumo:

É senso comum a grande distância entre o conhecimento técnico-científico desenvolvido na academia e o demandado pela indústria na área de vidros no Brasil, assim como em muitas outras áreas tecnológicas. Várias das maiores companhias instaladas no país são multinacionais, focadas principalmente em produção e comercialização de vidros, com pouco esforço local de pesquisa e desenvolvimento. Seus laboratórios de P&D localizam-se no exterior – embora este cenário venha se alterando positivamente, e há pouco domínio e transferência de tecnologia para o país. A distância entre a academia e a indústria também pode ser observada em empresas nacionais, que dependem fortemente de tecnologias importadas e assim transferem para o exterior uma grande parte do impacto econômico de suas atividades. O déficit de informação técnica acessível pode ser apontado como uma das principais barreiras para a quebra do círculo vicioso de subdesenvolvimento resultante desta realidade, o que se traduz em grande parte na falta de literatura especializada em português. Nesse sentido, o Centro de Pesquisa, Tecnologia e Educação em Materiais Vítreos (CeRTEV), um dos CEPIDs da FAPESP, e a Comissão de Vidros da Associação Brasileira de Cerâmicas propõem a criação da Wikividros, para disponibilização irrestrita de conteúdos em português sobre ciência e tecnologia de vidros, baseado na Web. A Wikividros vem sendo desenvolvida em colaboração com a equipe técnica de informática (STI) e analistas de sistemas da EESC-USP, com base no software livre DokuWiki, e tem como público alvo os trabalhadores da indústria e estudantes na área. A Wikividros está hospedada na EESC-USP (https://wikividros.eesc.usp.br/) e será em breve aberta ao público. Vários especialistas em diferentes aspectos da produção de vidro no Brasil, com sólidas experiências na fabricação do vidro, estão dispostos a colaborar neste desafio – e procuramos novos colaboradores. O atual estágio de desenvolvimento da Wikividros será apresentado e detalhado, e o público será convidado a opinar sobre o empreendimento.

Comments are closed